TRANSMONTAR

Dissertações sobre Trás-os-Montes, seu passado, presente e futuro. Idiossincrasia transmontana e visão do mundo a partir deste torrão.

10 junho 2009

Deveres Cívicos

O Senhor Presidente da República resolveu culpar os portugueses pela quebra dos deveres cívicos, de entre os quais destacou o de votar.

Descontando o lado paternalista da pedagogia ensaiada, trata-se de um desabafo que revela desconhecimento e desorientação perante a negligenciada maturidade cívica de que demos testemunho. Consumidores esclarecidos de bens políticos, exigentes avaliadores da acção dos agentes da governação, não compramos gato por lebre, Senhor Presidente. Quando ou se chegar o tempo da ‘boa moeda’, estaremos, naturalmente, mobilizados para responder às exigências desse tempo.

Se não constituísse uma incorrecção política para a qual não devo desafiar V/ Exa., convidava-o a acompanhar-me no exercício do aplauso perante a atitude da imensa maioria dos que não votaram e que o Senhor também representa. Em vez de desistência e resignação, revelou independência e controlo sobre a outorga de legitimação. Forçados a comparecer nas suas mesas de voto, contribuiriam, muito provavelmente, para a enganadora celebração dos ora derrotados. Quanto tempo perderíamos mais na busca da tal ‘moeda’?

Viva a inalienável, esclarecida e clarificadora liberdade cívica expressa no direito à abstenção!

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial